segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O Brasil deveria seguir o exemplo dos italianos

Fonte: Matéria: Lance! Foto do estádio: Folha.com

Este post era para ter sido escrito na sexta passada, quando o diário Lance publicou uma boa matéria sobre o novo estádio da Juventus. Acabou que li a matéria, mas na correria acabei me esquecendo de postar alguma coisa sobre o assunto. Para quem não leu, ou não assistiu ao Bate-Bola primeira edição da ESPN Brasil, a matéria do lance divulgou que o novo estádio da Juventus de Turin, que foi construído no local do antigo Delle Alpi, com capacidade para 41 mil pessoas sentadas e considerado o mais moderno estádio europeu, custou "absurdos" 106 milhões de euros (equivalente a R$ 244,8 milhões de reais), sem dinheiro do governo (apesar do terreno ter sido vendido por um valor simbólico de 1 milhão de euros - informação dada pelo Paulo Vinícios da ESPN) e foram usados vários materiais reciclados para ajudar a diminuir o custo total da obra.



O mais incrível é que ele é mais barato do que quase todas as construções ou reformas de estádios para a Copa do Mundo de 2014, só a reforma da Arena da Baixada (estádio do Atlético-PR) que é mais barata que o estádio de Turín (R$ 180 milhões). Lendo esta notícia me deu a impressão de que os operários italianos ganham mal, não tem plano de saúde e recebem uma refeição diária. Talvez esta seja a explicação para que a reforma do Maracanã custe R$ 931,8 milhões, ou o Itaquerão que deverá ficar em R$ 920 milhões, ou ainda a nova Fonte Nova que ficará em R$ 786 milhões. Será que o cimento brasileiro é mais caro do que o italiano, ou o alemão (os estádios para a copa de 2006 também foram mais baratos que os brasileiros)? Por que não podemos construir/reformar estádios modernos sem super faturar os materiais de construção? Por que as empresas brasileiras não se interessam por construir os estádios sem dinheiro público? O da Juve foi feito com dinheiro da família Agnelli (proprietários do clube) e da FIAT.

É revoltante ver tanto dinheiro público sendo torrado em estádios e ver pessoas que dependem do SUS morrendo nas filas de espera por falta de atendimento. A Copa e os jogos olímpicos não vão melhorar este cenário para a maioria dos brasileiros. Poucas pessoas se enriquecerão com estes eventos. E os que vão ficar mais ricos serão os mesmos de sempre, aqueles poucos corruptos que são os mais interessados em trazer eventos grandiosos para o país, desde que os mesmos ofereçam oportunidades para a construção de elefantes brancos. A África do Sul não ficou mais rica com o Mundial de 2010, nem a Alemanha. No caso dos africanos podemos constatar que tiveram os mesmos problemas que nós estamos tendo, com muitos casos de corrupção e o aumento da dívida pública. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga este blog por e-mail