domingo, 26 de outubro de 2014

Meu critério para escolher os candidatos no Primeiro Turno



Escrevo este texto no dia seguinte a eleição do primeiro turno, já sabendo da missão difícil que eleitores que desejavam uma mudança profunda na política terão ao ter de escolher entre Dilma e Aécio. Tomei como base no primeiro turno evitar votar em candidaturas financiadas por empreiteiras, multinacionais e bancos; não votar em candidaturas com mais de três partidos aliados e não votar em candidaturas com apoio de corruptos.

O problema das candidaturas financiadas por empreiteiras e empresas é que elas vão querer algo em troca pelo "apoio". Terão grandes chances de serem beneficiadas nas licitações realizadas pela candidatura caso seja eleita. É uma das maneiras de fazer corrupção.



As candidaturas com coligações grandes tem um grande problema quando eleitas. O partido vencedor se ver na obrigação de retribuir os aliados com Secretarias ou Ministérios uma vez que contribuíram com seus segundos no tempo total de propaganda no horário eleitoral gratuito.

O voto em chapas apoiadas por candidatos fichas-sujas (Sarney, Eduardo Azeredo, etc) vai contra todo aquele protesto de junho de 2013, onde muitos se manifestaram contra a corrupção.

Além disso não me esqueci de pesquisar (na medida do possível) a história política dos meus candidatos. No fim das contas acabou que nenhum dos meus cinco candidatos foram eleitos para seus respectivos cargos, mas creio que valeu não ter traído o que desejo, de ver uma classe política menos corrupta e isso depende de uma mudança de atitude dos eleitores. Os três principais pontos citados aqui, que determinaram minhas escolhas, são baseados em questões que crítico no grupo que governa minha cidade. Seria hipocrisia votar no PT após criticar tanto esses fatos no governo municipal que adora esse tipo de política também praticada por PSDB e atualmente PSB.

Para o segundo turno me restam duas opções: votar no menos pior ou invalidar meu voto (Branco ou Nulo)?

Apesar de não condenar o voto inválido (como a maioria das pessoas fazem, principalmente as filiadas a partidos) acho muito perigosa esta opção. Acredito ser um risco muito grande anular ou votar em branco correndo o risco do pior candidato vencer. Por outro lado qualquer um que eu escolha não será a favor das pautas que meu candidato a presidente defendeu. É uma "sinuca de bico", mas terei de escolher entre "Sanduíche de Merda e Babaca Inútil"*.

Durante esta semana escreverei sobre o segundo turno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga este blog por e-mail