quarta-feira, 18 de junho de 2014

Patriotismo de ocasião

Estamos vivendo um momento que é um ótimo exemplo do patriotismo de ocasião. A Copa do Mundo 2014.


A cada quatro anos a história se repete. Ruas são enfeitadas com as cores da bandeira nacional, predominando o verde-amarelo, pessoas saem as ruas com camisas amarelas que fazem referência a seleção de futebol. Bandeiras são colocadas nas sacadas, janelas, lajes, em retrovisores, janelas e capôs de carros. Estas coisas ocorrem em toda Copa do Mundo de futebol, onde até quem não entende nada deste esporte entra no clima. Torcedores cantam o hino nacional à capela e jogadores se emocionam.

Torcedores cantaram na Copa (e ainda devem cantar várias vezes) que acontece pela segunda vez no nosso país, mesmo em jogos onde o time da CBF não está disputando, aquela música que ficou famosa nos ginásios brasileiros em jogos da seleção masculina de vôlei "Eu sou brasileirooo, com muito orgulhoo, com muito amoooorr" (que é bem tosca por sinal). Será que amam mesmo, ou mostram-se patriotas somente quando torcem por algum esporte em que algum brasileiro tem chance de conquistar alguma premiação?

As mesmas pessoas que exibem as cores da bandeira com orgulho e cantam àquela canção são incapazes de sentirem esse orgulho no período eleitoral. Trocam seu voto por qualquer tipo de "vantagem" sem dar a mínima por estar colaborando para que um corrupto se eleja e prejudique toda a comunidade. Não pensam no bem da comunidade, pelo contrário, só pensam em si mesmos, e acabam contribuindo para tudo de ruim que os políticos (em sua maioria) fazem ao país que em jogo de Copa do Mundo juram amar e sentir orgulho. E depois disso tudo reclamam da corrupção e mandam a presidente tomar naquele lugar.

Este ano apareceram também os "patriotas petistas" que apoiam o principal evento da Fifa torcendo para que dê tudo certo, de preferência que o time de Felipão seja campeão, para que a atual presidente não perca a eleição de outubro. Esses são dignos de pena. Fecham os olhos para toda a roubalheira que aconteceu nas obras de estádios e de mobilidade urbana, que beneficiou até aos partidos de oposição ao Governo Federal diga-se de passagem, mas que a maioria da população bota tudo na conta do governo petista. Por isso até entendemos o motivo desse apoio cego ao evento, porém não poderia ser assim. Ser filiado a um partido não deveria proibir a pessoa de reconhecer a corrupção dele.

Também tem as pessoas que são bons cidadãos, não entendem de futebol, contudo torcem e se comportam como patriotas de ocasião por não conhecerem a corrupção da CBF e de quase todas as federações desse esporte, ou não querem ficar de fora da festa.

Uma pena que este patriotismo não é duradouro nem capaz de tornar as pessoas cidadãos mais conscientes de seus direitos, deveres e responsabilidades com o futuro do Brasil. Este amor citado na música poderia influenciar o povo a pesquisar os bons candidatos (que infelizmente são poucos) antes de votar e transformar-se em cidadãos mais conscientes. Tomara que mesmo com tanta roubalheira esta Copa do Mundo deixe este legado ao brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga este blog por e-mail