sexta-feira, 12 de setembro de 2014

La Leyenda del Tajín (tradução) - Segunda parte das lendas mexicanas que inspiraram canções da banda Fortaleza

Tradução da Lenda de Tajín
La Leyenda del Tajín
Disco: Una Luz Entre Las Sombras (Uma luz entre as sombras)

Após pouco mais de um ano e meio, quando escrevi a primeira parte de "Fortaleza e suas canções inspiradas em personagens, histórias e lendas do México"*, resolvi traduzir (tentar traduzir) outra lenda que inspirou uma bela canção da banda. Trata-se da Lenda de Tajín.


Antes de começar a traduzí-la diretamente do site oficial da banda, é necessário tentar esclarecer o que é Tajín. Segundo tentei apurar no site do Instituto Nacional de Antropologia e História - INAH (México) e na Wikipedia, El Tajín é a cidade pré hispânica mesoamericana mais importante da costa norte de Veracruz. É o maior sítio arqueológico da região, com grande acervo da cultura asteca e de povos pré invasão espanhola. Tajín é a cidade sagrada do povo Totonaca, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Também é o nome do personagem da lenda Tajín y los siete trueños.

Fontes e curiosidades:

*Até então não havia planos para que se tornasse uma série de postagens sobre o tema, mas comecei a ler os posts antigos do blog e me deparei com este, que considero ter a influência de um bom acervo de lendas mexicanas. Junte-se a isto o fato de eu estar tendo aulas de espanhol e a tradução dessas lendas ser uma boa maneira de praticar.

La Leyenda del Tajín

A Lenda do antigo trovão foi escutada pelo etnólogo Roberto Williams Garcia, dos lábios de um ancião totonaco que vivia em uma colina com vista para a Pirâmide dos Nichos, na zona de Tajín, sendo publicada em 1954 na revista "Tlatoani".

Na congregação de Tajín, os totonacos relatam a existência de um ser sobrenatural, o antigo trovão, que permanece acorrentado no fundo do mar e cujos seus rugidos roucos começam a ser escutados desde o mês de junho, prolongando-se por julho até agosto.

O personagem era um órfão vagante. Em certa ocasião, seus olhos maravilhados viram um machado que, por próprio impulso, cortava lenha e seguidamente eles se uniram transformando-se em uma ferramenta. O menino seguiu o caminho e assim chegou a uma casa que era a Pirâmide dos Nichos, onde viviam 12 homens idosos, que eram os senhores do trovão, eles tomaram o órfão como servo, Talinmaxka ou Limaxka no idioma totonaco, recomendando-lhe que seguisse suas ordens.

Uma vez, quando os anciões se preparavam para sair para seus trabalhos, o órfão viu como tiravam suas vestimentas de dentro de um baú: a roupa do furacão. Ele saiu de casa usando a roupa e imediatamente provocou um furacão que começou a destruir tudo; as árvores desmoronaram, e cabanas caíram. Os senhores do trovão,ao se darem conta da situação, perseguiram o causador do tumulto, lançando montanhas de nuvens para capturá-lo, levando muito tempo para conseguir, porque o menino sempre escapava.

O menino foi levado para o mar, onde foi submetido e acorrentado para não se mover. Dizem que os roucos rugidos ocorrem por ele perguntar quando é o seu dia santo, mas os senhores do trovão o enganaram dizendo que era uns dias antes ou depois da data verdadeira: 24 de junho. Se abstiveram de dizer o dia certo pois pensavam que o garoto provocaria uma tremenda inundação que acabaria com o mundo.

No monumento de entrada a zona arqueológica de Tajín, em 1992 ficou representada esta lenda graças à habilidade do escultor Teodoro Cano.




Fortaleza - La casa dele trueño
https://www.youtube.com/watch?v=QBsUjUplZOU
Fortaleza- La Leyenda del Tajín (versão do disco)
https://www.youtube.com/watch?v=CrK4-4YV0GM
La Leyenda del Tajín ao vivo



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga este blog por e-mail